A u r o r a C o n c l u s a



EU SOU


O CORPO

Jorge Abu Jamra Neto - 1975



A MENTE

Cinema - Idéias - Música


A ALMA

Artes - Plantas - Filosofia








 







CONCLUA UMA AURORA
E-MAIL

Mande-me um E-mail



 









AURORAS QUE INSPIRAM

Marcelo Tas

Zero-e-Zine

Provocações

Cirque du Soleil

A casa de Rubem Alves

Grécia Antiga e Filosofia

José Laercio - F.R.C.

Portas Curtas

Ponteiro

Citador


 







AURORAS INCITANTES

O Centenário

Cavaleiro de Navarra

Escrever Por Escrever

Mude


 





AURORAS CONSCIENTES

Pau da Barraca


 




AURORAS POÉTICAS

Poeclética

Divagadora

Rua Ramalhete

Alma do Meu Sonho

Felicity Craft

Ópio

Pijama Secreto

Ar de Amor

Correndo atrás do vento


 




AURORAS LITERATAS

Vergonha dos Pés

Teofilo Tostes

Beta Mania

Botequim Poético

Letras e Tempestades



 






Histórico

05/03/2006 a 11/03/2006
01/01/2006 a 07/01/2006
09/10/2005 a 15/10/2005
21/08/2005 a 27/08/2005
17/07/2005 a 23/07/2005
29/05/2005 a 04/06/2005
17/04/2005 a 23/04/2005
03/04/2005 a 09/04/2005
27/03/2005 a 02/04/2005
30/01/2005 a 05/02/2005
19/12/2004 a 25/12/2004
07/11/2004 a 13/11/2004
17/10/2004 a 23/10/2004
26/09/2004 a 02/10/2004
12/09/2004 a 18/09/2004
05/09/2004 a 11/09/2004
29/08/2004 a 04/09/2004
15/08/2004 a 21/08/2004
08/08/2004 a 14/08/2004
25/07/2004 a 31/07/2004
18/07/2004 a 24/07/2004
11/07/2004 a 17/07/2004
04/07/2004 a 10/07/2004
27/06/2004 a 03/07/2004
20/06/2004 a 26/06/2004
13/06/2004 a 19/06/2004
30/05/2004 a 05/06/2004
23/05/2004 a 29/05/2004
16/05/2004 a 22/05/2004
09/05/2004 a 15/05/2004
02/05/2004 a 08/05/2004
25/04/2004 a 01/05/2004
18/04/2004 a 24/04/2004
11/04/2004 a 17/04/2004
04/04/2004 a 10/04/2004
28/03/2004 a 03/04/2004























A vida é um sopro... é rir e chorar.










A virtude deve desaparecer de novo e tornar-se inocência.










O homem não é o único a falar,
o universo fala, tudo fala, linguagens infinitas.











Um dia, me encontrou
Deu-me a mão
Buscando o infinito
E caminhou...

Mostrando passo a passo
A vida plena
O sentimento leve
O encontro perfeito

Um dia ela chegou
Em um caminho me acompanhou
Ensinando passo a passo
A arte do amor










O mergulho é sempre um risco.

Mergulhos Profundos

A pressão do inicio
Um novo meio, uma nova experiência
A dificuldade da novidade
O contato com a água me encharca
Me limpa do passado.
Meu caminho à tona

Sinto o cheiro do verde
Vejo os raios do sol
O calor começa me aquecer
Ondas me cobrem
O céu torna-se mais azul
Preparo os pulmões

O caminho esta traçado
O meio não mais importa
As bolhas me acompanham
Sei que estou subindo
A dura realidade do fundo some da vista
O futuro se anuncia


 

           Preserve a intuição...o que sobra é a vida!


Multidão sem rosto  

Vivem em realidades surreais

Esquecem suas raízes, seus objetivos sociais.

Não exploram a vida, a diversão do dia-dia.

As maravilhosas fontes de inspiração, e o sentir das emoções.

Se esquecem da expressão singular do ser.

São anônimos e alienados, e não tem ação.

São cercados de agonia, desespero e solidão.

 

Esse mundo é de quem quiser, mas não é meu...

Eu sou só mais um, mas sei o que quero.

Tenho meus sonhos.

 

Fiquem sentados e me assistam voar

Vou tocar as estrelas

Quero emoções, sei meu papel.

Escuto as vozes...são crianças cantando, são pessoas brincando.

Reconheço os indivíduos na multidão

Não são rostos apáticos, são pessoas sonhadoras.

São amáveis, carinhosas e me emocionam...

Rio e choro com elas

 

Só me pergunto porque alguns escolhem a dedo com que dividir seu amor

Acho que não contaram...Amor não gasta e não acaba

Ao contrário o amor é contagiante e desperta as melhores virtudes humanas.

Todos têm amor. Quem não ama sua família seus amigos? Isso é fácil.

Deixe o amor viver...deixe as emoções existirem.

Deixe o coração humano ser livre...



Escrito por Jorge Neto às 12h35




Alma Nua 

Máscaras e muros

Filtros aposentados

Exposição dos sentidos

Interior em busca do mundo

Conhecendo, sorrindo e vagando

Nudez da alma

 

Escuridão em busca da luz

Medo que busca coragem

Desbravamento pueril

Conhecer o desconhecido

Ir ao destino, conhecer o início

Busca do ser

 

Sem limites, crescer

Novos mundos, novas almas

Dores e alegrias reais

Sem mentiras, sem ilusões

O todo, sem medo

A boa graça



Escrito por Jorge Neto às 18h02